quarta-feira, março 23, 2005


Cicatriz

O desafio maior...
Descobrir o rasto da dor,
A impressão em carne viva, de sangue e tatuagens,
De cicatrizes que as pontas dos dedos desenham no teu rosto...
Afectuosas preciosidades...
Que te mutilam e escondem,
Que fingem ser o que não são
E que se mostram,
Como caracteres vermelhos em papel branco,
Um sortilégio, uma inevitável condenação,
Difícil de esquecer.

Mas tudo se ilumina e renasce.
A água gira e corre, moldando o mundo,
Criando e inventando o nosso riso,
Esperando o suceder dos dias,
Expectantes,
Pela memória que ainda não temos,
Pelas margens que o rio ainda não tocou.