quarta-feira, julho 07, 2004


A calma de antes

Solto frágil e insano.
Sobre as cinzas do silêncio e do embraraço.
A cobiça de vários pecados
De mitos e ideias escritos à mão.

Encontro sobre a chuva torrencial
Os últimos degraus de sombra entediante
De luz escoando-se no cansaço:
De te ver e te querer
De te querer e não te ter
De mais desejar...além de ti.

Antes da porta que se fecha com força,
Tocando seguro o ímpeto de amar no último dia do mundo
Bocejo...

A calma de antes...