segunda-feira, julho 16, 2007


Uns segundos na marginal


A longínqua lucidez das sombras
No clamor da noite, cresce
Adiada, sumida, perdida
Pela transparência das luzes ténues
Tremendo até à infíma dispersão
Como astros viajantes
Crisálidas suspirando entre metamorfoses
Descobrindo a espessura das cores e dos sonhos
Percorrendo pomares de perfume tropical
Num caminhar de bossa nova.

Agosto é já amanhã,
Na marginal.