sexta-feira, setembro 19, 2003

Paris no próximo mês

Como seria Paris no próximo mês
Dois meses depois da última viagem?
Dois anos naquele bairro
Vinte anos de cá para lá da cidade
Vendo o Tejo ao fundo, desde sempre.
Em minutos de sonolência
Horas de calor no carro fechado
E tu, amando e voando em Goa
Sem saudades nem pressa de voltar.
O comboio na marginal leva-me ao oriente
Em instantes de vontade
Esquecendo o barulho
Confundido tanta gente.
O último charro já não sabe a nada que não tenha dito
Nem provado, a coca, em círculos
Aprendi contigo, o enfado das rectas
Á distância de um telefonema
Numa hora de conta para pagar
O mapa da Europa para entender.
Uma missa diária da tua ciência
Infalível, comprovada e demonstrada
Oferece o milagre
Mantém-me vivo.