terça-feira, agosto 09, 2005


Je fais de toi mon desire

O desejo é cor dorida e noctívaga
Coisa de minúcias e murmúrios
Que se espreguiça no amainar da manhã,
Sorrindo das memórias longínquas de ontem
Assumindo formas invulgares e inesperadas
Reflectidas como sombras perdidas no escuro
Ouvindo-se como um grito arrancado de uma paixão furiosa
Afundar-se numa boca de metro qualquer,
Insinuando-se nas esquinas mal escondidas da penumbra.

Faço de ti o meu desejo egoísta de amar sem limites,
Amordaçar gemidos de prazer,
Guardá-los só para mim
E ardendo-me as asas, subir às nuvens.